Estados de transe

Os quatro estados mentais

As freqüências da Consciência

As ondas cerebrais são formas de ondas eletromagnéticas produzidas pela atividade elétrica das células cerebrais. Elas podem ser medidas através de aparelhos eletrônicos como o eletroencefalograma. As freqüências dessas ondas elétricas são medidas em ciclos por segundo. As ondas cerebrais mudam de freqüência baseando-se na atividade elétrica dos neurônios e estão relacionadas com a mudança dos estados de consciência (vigília, concentração, relaxamento, meditação, etc.).

FREQUÊNCIA BETA

Atenção
Concentração
Cognição

Nesta freqüência estamos bem despertos e em alerta. A mente está concentrada e preparada para a execução de trabalhos que requerem atenção. No estado beta os neurônios transmitem as informações rapidamente, permitindo-nos atingir altos estados de concentração, percebendo o mundo físico através dos nossos sentidos. Tudo o que é ligado à lógica, ao raciocínio, ao pensamento, isto é, a uma atividade mental, corresponde a esse nível que é o da consciência do mundo material percebida através dos nossos cinco sentidos.
As ondas betas ajudam nos estudos, na prática de esportes, ou seja, atuam na análise e na organização de informações onde a concentração mental é necessária para um bom desempenho. A faixa de ondas beta está entre 21 e 14 ciclos por segundo. O estado beta está associado à concentração, atenção e formação de novas cognições.

FREQUÊNCIA ALFA

Relaxamento
Visualização
Meditação

As ondas vibratórias emitidas pelo cérebro em estado alfa estão abaixo de 14 ciclos/segundo. Fisicamente a pessoa está de olhos fechados, com os sentidos parcialmente adormecidos, num estado de concentração e relaxamento profundo que corresponde ao pré-sono ou adormecimento.
Após muita prática consegue-se chegar a esse nível de olhos abertos. As ondas alfa são comuns antes do sono profundo e um pouco antes de acordarmos totalmente; é o estado que Jung chamou de estado “hipnagógico”; corresponde ao que chamamos “estado de consciência superior”, pois a pessoa ultrapassa a barreira mental e entra num estado de percepção extra-sensorial, tendo pensamentos intuitivos e criativos. Podemos entrar nesse estado através do relaxamento e meditação, pois quando aprofundamos a atividade cerebral, baixamos do estado beta para as ondas alfa que são mais lentas. A nossa consciência se expande. Flui energia criativa e desaparece a ansiedade, aparecendo uma sensação de paz e bem-estar.
As ondas alfa são excelentes para a solução de problemas, para memorização, relaxamento e para a prática de visualização com o objetivo de melhorarmos nosso desempenho em todas as áreas de nossas vidas (tela mental ou visualização criativa). Nesse estado alterado de consciência temos mais acesso às nossas capacidades chamadas de paranormais. Ao funcionarmos nesse nível de consciência abrimos uma porta para estados de consciência mais profundos onde “todos somos um” (UNICIDADE). Nesse estado, quando chegamos à ciclagem 10.5 ciclos por segundo, atingimos a Schumann Ressonance – a freqüência do campo eletromagnético da Terra. Nessa freqüência consegue-se a telepatia, premonição, retrocognição…

FREQUÊNCIA TETA

Meditação
Intuição/Criatividade
Memória

Se aprofundarmos o nível alfa abaixo de 7 ciclos por segundo chegaremos, com a prática de exercícios de meditação, ao nível teta onde ocorre inclusive a cura do corpo físico. No nível teta nossa atividade cerebral baixa quase ao nível do sono; é quando temos a sensação de estarmos caindo ou misturamos com o que acontece naquele momento na vida real (sons que ouvimos no ambiente), isto é, misturamos a realidade que ouvimos com os sonhos. Teta é o estado cerebral onde aumentamos a capacidade mental. É nesse estado de consciência que aparecem os flashes do nosso inconsciente (ideal para a projeção astral) e o acesso às memórias esquecidas.
Pode-se sentir a mente se expandir além dos limites do corpo. Portanto, teta é o estado ideal para a cura e também para a aprendizagem. Sabemos que a consolidação do que aprendemos durante o dia acontece quando dormimos. Também em teta podemos nos livrar de condicionamentos indesejados; é neste estado que ao sonharmos nos lembramos do sonho ao acordarmos. Também abrimos o inconsciente e podemos reviver cenas que causaram traumas no passado e nos curarmos das seqüelas que foram deixadas por eles (aqui se enquadram as terapias de regressão à vidas passadas). Nessa frequência cerebral aumentamos a criatividade, por isso surgiram os inventos de Henry Ford, Thomas Edison, etc… Conta-se que Thomas Edison adormecia levemente em cima de seus experimentos e despertava com as soluções. A freqüência de ondas teta está abaixo de 7 ciclos por segundo. Recebemos informações para além do nosso estado normal de consciência, ativando estados mentais extra-sensoriais; intuição, criatividade.

FREQUÊNCIA DELTA

Consciência expandida
Cura e Recuperação
Sono

Delta é a mais baixa de todas as freqüências de ondas cerebrais – entre 0.1 e 4 HZ.
A pessoa está de olhos fechados, inconsciente e com todos os sentidos adormecidos. O corpo está apenas na sua função automática e a pessoa se encontra insensível à dor. Os sentidos estão completamente adormecidos e a pessoa está totalmente inconsciente. Corresponde a um estado de coma profundo, de sono profundo ou de anestesia geral, também de hipnose profunda.
Delta é a mais baixa de todas as freqüências de ondas cerebrais. É em Delta que liberamos o hormônio do crescimento humano (GH), que é liberado se não fizermos nenhuma alimentação pesada 5 horas antes de dormir. No início de nossas vidas esse hormônio (GH) é usado pelo nosso organismo para o crescimento; quando cessa o crescimento nosso organismo o usa para nos manter jovens. Essa liberação é benéfica, pois beneficia a cura e a regeneração celular.

ONDAS CEREBRAIS E O AUTOCONHECIMENTO

Devemos compreender que nossos ritmos de consciência estão vinculados a nossa freqüência de ondas cerebrais. Tudo em nós é unificado: uma emoção negativa (geradora de stress ou ansiedade) despeja cascatas de hormônios em nossa circulação, acelerando nosso ritmo respiratório e batimento cardíaco, elevando nossa pressão sanguínea e nossa freqüência de ondas cerebrais. Quanto mais aceleradas estas ondas, menor nossa consciência e capacidade de aprendizado (o “branco” em situações de tensão evidencia isto), mais instintivos e menos intuitivos nos tornamos, nos afastamos de nossa Chispa Divina interior…

Por outro lado, as diversas técnicas de expansão de consciência têm o poder de baixar tais ondas e realizar muitos dos prodígios relacionados a ela: cura de doenças físicas (existem casos documentados de remissão de tumores em 2 semanas unicamente através da meditação), reprogramação mental, ativação de memória genética e de vidas passadas, projeção astral e muito mais.

E como atingir tais estados? Cada povo desenvolve seu método: danças, yoga, mantrans, concentração, toques de tambor ou ingestão de plantas professoras (dentre elas a ayahuasca). Todas estas no permitem entrar em estado de meditação, conhecer o shamadi ou êxtase, a plenitude espiritual e reconecção com nosso Ser… Nesse estágio, a pessoa se torna calma, tranqüila, em paz e em harmonia, pois quanto mais profundo é o relaxamento, mais lenta é a atividade cerebral e mais a consciência se abre. Este também é o segredo da regeneração cerebral e celular.

E o mais importante: este estado também pode – e deve – ser transportado até sua vida diária, de instante em instante e de momento a momento…